sexta-feira, 30 de julho de 2010

Responsabilidade

Sou muito fã da Patricia McConnell! Ela é Ph.D em comportamento animal, autora de vários livros (entre eles, o ótimo "Cães são de Marte Donos são de Vênus"), professora, adestradora, criadora de Borders...
A Sylvia Angélico, do site Cachorro Verde traduziu um texto maravilhoso da Patricia. O texto é sobre a responsabilidade dos criadores de cães. Precisamos disseminar a cultura de que, se for para comprar um cachorro, este deve ser comprado de um criador realmente responsável e não em pet shops e criadores irresponsáveis ou amadores. Leiam, tenho certeza que vocês irão gostar.
Segue o link:
http://cachorroverde.com.br/site2009/?p=1624

Abraços,

Thaissa

quinta-feira, 29 de julho de 2010

Day care: Luc

Primeiro post sobre os alunos da day care tinha que ser o Luc, primeiro aluninho do day care! Os alunos de agility não acabaram não, ainda tem um punhado deles, mas vou variando.
O Luc é um labrador, labradoido na verdade. Também chamado carinhosamente por nós de Clifford. Pois o Clifford é o maior cão do mundo dos desenhos e o Luc é o maior labrador do mundo heheh. Este gigante é um doce, incapaz de ser agressivo com pessoas e totalmente "gente boa" com os amigos caninos. Ele chegou até a Universicão atraves do adestramento. A Claudia, dona dele, me chamou para educar esse maluquinho, mas só o adestramento pra ele não seria suficiente, ele precisava gastar toda essa energia de alguma maneira. Foi aí que ele começou a frequentar a nossa creche.

Clifford, o gigante cão vermelho

No começo o Luc era completamente sem noção. Não sabia brincar com os outros cães, atropelava todo mundo, era mega ansioso. Mas agora ele se comporta muito bem. Sua melhor amiga aqui é a labradora Maya, mas o Luc gosta de todos e tenta fazer amizade com qualquer cão, apesar de nem todos quererem ser seus amigos hehehe.

Luc e Maya

Adoooora brincar de buscar um brinquedo azul que temos aqui. É seu preferido. Se deixar fica o dia todo fazendo isso. Também gosta muito de ficar se esfregando nas nossas pernas, tipo gato, sabe? E ama um carinho. Fica deitado ao nosso lado pra ganhar sua massagem.

Esse brinquedo azul é um sucesso

Não pode ver a vasilha de água cheia que já da um jeito de esvaziá-la. Prefere beber água direto da torneira e cavocar a vasilha de agua pra se molhar. E molhar os amigos. E molhar a gente.
Temos um carinho todo especial por esse gigante cão vermelho.

O gigante mais doce que existe

Um abraço
Fernanda - Universicão

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Treinos de slalon

Quando treinei agility com a Kiara, minha poodle de 11 anos, era tudo sem técnica. Ensinava ela a passar pelo obstáculo e depois juntava tudo e pronto! Sendo que as zonas de contato da passarela dela eram na sorte, da rampa ela é pequena e nunca pulou. Mas o slalon sempre foi péssimo. Ela só sabe fazer se eu estiver com ela na minha esquerda e mesmo assim erra algumas vezes. Método errado, antigo mas que infelizmente tá cheio de gente que ainda usa: guia no cachorro e ir dando tranco pra lá e pra cá, mostrando que o cão deve fazer aquele movimento nas varas. Pobre Kiarinha....

Kiara linda, fazendo slalon em uma prova em Campinas

Maaaassss os tempos mudaram, as técnicas evoluíram e graças a Deus a Kiara foi a única a aprender dessa maneira. Já treinei muitos outros cães no slalon mas, com o Ty, inventei uma técnica própria, um mix de tecnicas bacanas de outros treinadores. Ele foi meu cobaia, depois fiz com a Laka e deu muito certo. Tentei com a Amy e também tive excelentes resultados, até que tive meu maior desafio: o whippet Senna! Me disseram que eu não iria conseguir com ele, que era melhor nos métodos conhecidos, mas eu tinha certeza que esse mosquito iria aprender! E aprendeu!!!! 10 treinos e o slalon dele está pronto!! Que orgulho que eu fiquei! E ele amou aprender!
Foram 4 raças diferentes, mesma metodologia, ótimos resultados! Quem sabe daqui um tempo eu não lanço meu DVD: 12 varas em 10 dias, Slalon by Fernanda Lesnau! hehehe
Aqui estão os videos dos 4 cães! O video do Ty é do começo do treinamento, é do ano passado ainda. Espero que gostem!

video
Amy - Pastor de Shetland


video
Laka - Border Collie


video
Senna - Whippet


video
Ty - Schipperke

Abraços
Fernanda - Universicão

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Agility: Heisi

A Heisi é uma cadelinha nova, que treina há pouco tempo e compete há menos tempo ainda, mas a sua dona Leilah já é minha aluna de muitos anos. Na verdade é Tia Leilah, ela é minha tia heheh! E, por causa disso, todos da Universicão a chamam de Tia também. Ela é tia de todos nós, com muito carinho.

Tia Leilah e Heisi

A Tia Leilah começou a treinar comigo acho que em 2003, com sua poodle Julie. A Julie foi uma cadelinha que eu dei para ela após sua antiga dona não a querer mais. Ela tinha 6 meses e amava muito meus tios. Infelizmente em 2007 a Julie morreu. Meus tios ficaram muito tristes e pensaram até em não ter outro cão. Mas quem aguenta viver sem um cãozinho né? Aí surgiu a Heisi!

Nanica correndo na passarela!

Essa nanica desde cedo começou a treinar, acho que tinha uns 4 meses. E sempre mostrou muita vontade e seu tamanho nunca a impediu de fazer nada. Há mais ou menos um ano atrás, Tia Leilah e Heisi estreiaram em uma prova oficial de agility. Logo de cara subindo ao podium!!! E, desde então, começaram a colecionar medalhas. Heisi está pronta agora para debutar no grau 1, seu peso pena dá conta de abaixar a gangorra e o slalon dela é rapido e lindo! Tenho muito orgulho dessa dupla, elas melhoram a cada treino e se divertem muito com o agility!

Adoro essa foto, Heisi numa prova do campeonato brasileiro de agility

Abraços
Fernanda - Universicão

quinta-feira, 15 de julho de 2010

Agility: Austin

Austin é um Border Collie de quase 5 anos, da amiga e aluna Tati. Esses dois também foram um dos meus primeiros alunos de agility, começaram comigo lá em 2006 no palomas. O Austin é um cachorro doce, simpatico, que gosta muito dos outros cães (desde que não sejam maiores que ele) e acho que gosta muito de mim também. Mas nem sempre foi assim. Logo na primeira aula de agility o Austin mordeu meu pé. Ele foi fazer xixi na passarela e eu fui lá falar não, ele nem aí, catou meu pé! hahaha. Ok, não fiquei chateada!

Austin na passarela

Esse negocio de xixi sempre foi um enorme problema pra ele. Lá no Palomas volta e meia fugia da pista pra ir marcar todas as arvores (eram muuuuitas). As vezes ele melhorava, as vezes voltava a fugir. Em provas e aqui na Universicão ele nunca teve esse "desejo", até porque aqui não temos arvores ao redor da pista de agility.

Competindo no grau 1

O Austin estreiou em provas de agility em 2007, e logo de cara faturou o terceiro lugar do podium. Nem preciso dizer minha emoção né? De lá pra cá foram conquistando várias medalhas e estreiaram no grau 1 um ano depois. O Austin tirou um tempo de férias de provas de agility, para dar uma aperfeiçoada nos treinos, mas acho que logo logo ele e a Tati retornam às pistas.

Austin competindo em Itu/SP

Abraços
Fernanda - Universicão

terça-feira, 13 de julho de 2010

Agility: Juka

Olá pessoal!
Gostaria de começar uma nova sequencia de posts aqui no blog, cada um falando de um de nossos alunos do agility. Depois eu faço dos alunos de day care e adestramento. Para começar, um aluno mega especial, o Juka!

Juka, pose de modelo

O Juka é um Terrier Brasileiro (fox paulistinha), de quase 5 anos, do amigo e aluno Aloisio. Juka foi um dos primeiros cães a treinar comigo e tem uma historia interesante. O Aloisio resolveu educar o Juka e chamou um adestrador, este adestrador era adepto de técnicas de susto e punição. Logo na primeira aula mostrou para o Juka uma garrafa de refrigerante cheia de pedrinhas e o pobre cão levou o maior susto. O Juka já era um cachorro sensivel e, com essa punição sem sentido, traumatizou. Ele ficou com medo de barulhos, homens, pessoas estranhas, garrafas ou qualquer coisa desconhecida. Aí que entrou o agility na vida dele.

Menino lindo!

O Aloisio me conheceu, na verdade nem lembro como, e começamos a treinar agility, junto com um trabalho paralelo de socialização. O Juka melhorou muuuuuuuuuuito desde então. É um cachorro muito mais confiante e feliz. Posso dizer que hoje ele só tem medo mesmo é de fogos de artificio, mas também nada desesperador, passou a copa do mundo tranquilo.
O Juka é campeão brasileiro de agility, categoria grau 1 midi, pegou diversos podiuns e coleciona muitas medalhas. Como qualquer terrier, sempre apronta das suas nas provas. Não tá nem aí quando o Aloisio grita: zonaaaaa! Ele pula mesmo e sai correndo, como se falasse: e aí, o negocio aqui não é por tempo? Bora correr!

Uma das minhas fotos preferidas dele

Mas o que importa é que Juka e Aloisio se divertem fazendo agility!
Abraços,
Fernanda - Universicão